Lava

.

a poesia escorreu
entre os dedos

.

não era desperdício
……………………..ou perda
só um deleite

.

carcomeu meus dogmas
corroeu minhas ilusões

.

a poesia me esculpiu no mármore
que ela mesma forjou no tempo

.

depois me lançou no abismo

.

.

2 comments

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s