Monthly Archives: Janeiro 2012

Lucifilia

Padrão

.

dedicado a todas as vítimas
da ação da PM paulista
na região da estação da Luz
entre dezembro de 2011
e janeiro de 2012

.

I

Como homens lobotomizados
vagam na escuridão
envoltos em mantos esfarrapados
Sedentos.

.

Fustigados pela vida
mancam das pernas e do espírito
com a mão estendida
(pedindo clemência ou níquel)
ou armados de cacos de vidro
– camuflados na cinza paisagem da metrópole.

.

Atravessaram longas distâncias
em busca da estrela brilhante
que anunciaria a redenção
e a prosperidade
com seus vapores de alfazema e notas amadeiradas…

.

Fracassaram.

.

Noctâmbulos recorrem
a qualquer brilho fugaz
ou pedra preciosa
na desesperada (e inútil)
tentativa de inalar tais anseios.

.

Tal astro de brilho indecifrável
é uma lanterna no fim de um túnel
Estreitíssimo.

.

.Hoje fedem.

.

.

II

Nem todos os zumbis
vagam na noite.

.

Há aqueles que avistaram de relance
a fraca e distante luz
e alçaram novos patamares
……………novos sonhos.

.

Esconjuram entanto
o sem número de infortúnios e provações
a que são submetidos
todos os dias.

.

O beijo da princesa mítica
lhes retirou do brejo e aliviou a cruz.
Mas ainda palmilham com a plebe.

.

Lucífilos incorrigíveis
sentam-se na sala de estar
para receber seus grandes irmãos.

.

Anestesiados
inalam com os olhos
os volúveis e voláteis
vapores de LCD.

.

A escuridão lhes é indiferente.

.

.

III

Não há beijos para todos
e a cruz pesa sobre os ombros.
Sobre os de uns mais que de outros.
Alguns carregam a de terceiros.

.

Machuca os músculos.
Tritura os ossos.
Apaga o espírito.

.

Torna-se habitual.

.

Como as águas da chuva
que escorrem inertes na ladeira
seguem assim.

.

Quando o crepúsculo se apresenta
regressam para casa
vencidos ou esmagados.

.

Sentam-se aéreos
como robôs que recarregam a bateria
como moscas hipnotizadas pela luz.

.

Contemplam um paraíso sem lastro.

.

Justificada sua existência
se entorpecem homeopaticamente
até quando forem suficientes as doses
para tantas dores
que às vezes esquecem sentir.

.

A possibilidade ínfima de encontrar a luz
é o que os separa da escuridão.

.

.

IV

A escuridão é desconhecida.

.

A escuridão é um mistério.

.

Mistérios são armadilhas.

.

.

V

Enquanto todos se entorpecem
Deus mais uma vez
envia seus quatro arautos
para restabelecer a ordem
na madrugada.

.

O rubro cavaleiro da gratidão
sorrateiro e silencioso
se aproxima
batendo suas cinco asas amarelas
criando um turbilhão
e tomando de surpresa
aqueles que vagam ou definham
invisíveis nas ruas.

.

Ainda tontos
mal sentem o golpe
das três lanças vermelhas
do negro cavaleiro da guerra
com seu ornitológico corpo
saído do mais alto lugar da Terra.

.

Caídos no chão
os corpos aguardam a morte
sem agonia.

.

Saído do barro escondido sob o asfalto
o cavaleiro com pés de pluma
e suas cinco merletas negras
alça aos céus
os despojos do ataque
sem deixar vestígios.

.

Depositados os corpos
onde habitam todas as rapinas
o cavaleiro vermelho
dá o golpe derradeiro
naqueles que não deixarão saudade.

.

.

VI

A escuridão persiste.

.

Será preciso mais que essa madrugada
para dissipá-la.

.

Mas Deus não desiste
(embora seja repetitivo)
e seus guerreiros são incansáveis.

.

.

VII

O sol desponta.

.

Com uma vaga lembrança
sobre o que ouviram falar
da divina ação na madrugada
zumbis e robôs
seguem
o roteiro transmitido na noite anterior
Felizes ou exaustos.

.

A realidade é um show
e tem que continuar.

.

.

Reveillon

Padrão

.

.

I

Se descortinava
o artifício do tempo
com seus oráculos de bonança.

.

O nascimento dum ano fortuito
trajando branco alvíssimo
com seus colares de esperanças
tingindo os céus de luz.

.

Planos projetos desafios
novos amores
velhos romances

aquela impávida sensação do novo
(sem lastro).

.

.

II

Tomarão o cenário
…….vampiros
…..ranfastídeos
pseudocanhotos
..destros convictos
.com signos e sigmas
tratores motosserras
..medidas barragens
….(de contenção)
……..prontos
a tomar as rédeas

.

— episódio de um antigo drama.

.

.

III

Tinham, pois, direito a um gole
um trago
e qualquer oração
para aliviar o tédio e o susto

.

O ano passara tão rápido!

.

.

IV

Todo aquele espetáculo
com seu sedutor fascínio
disfarçava um cansaço de existência
acostumada ao descortinar do tempo
com seus artifícios e fogos
brindes ondas poesia

.

Brilhos que o despertar pela manhã
(caminho real pelo qual se segue)
já não possuía

.

Há anos.

.

.

.São Paulo, 8 de dezembro de 2009
publicado originalmente na edição 139, da revista Mundo & Missão