Monthly Archives: Dezembro 2011

Iara

Padrão

Ilustração de Zizi, das quebradas da Zona Sul paulistana

.

.

Tua beleza retalha os olhos
de quem te insiste admirar.

.

Faz doer a cabeça
aos solitários
Lima o sexo úmido.

.

Muitos fizeste perecer
nas matas exploradas
que apresentaste.

.

Tantos gastaram o tempo e os ossos
à procura da pepita
que se prometia em teus riachos.

.

Quantas oferendas
Quantos sacrifícios

.

Quem ousou guerrear
foi ferido pela própria lança.
Quem folheou teus mistérios
foi abandonado
entre gemidos e ranger de dentes.

.

Aqueles que arriscaram
mirar teus olhos profanos
caíram de joelhos
Oraram em línguas que os anjos desconhecem.

.

.

.

Anúncios

As pedras da lei

Padrão

.

Quando Moisés apresentou
ao povo
as tábuas da lei
o povo analfabeto não leu
mas engoliu.

.

As leis foram ditadas por deus
cujo rosto o povo não conhecia
e com quem Moisés fez um acordo promissor.
.

Os tempos mudaram
já não escrevemos nas pedras.

.

Mas a gênese das leis
e seu processo digestório
mantêm os mesmos princípios.

.

São Paulo, 11 de dezembro de 2010