A difícil tarefa

.

Há mortos
que demoram a morrer
ou ressuscitam
cotidianamente.

.

Há mortos
que lançam nos olhos dos vivos
seus maxilares
suas memórias
e cicatrizes.

.

Os vivos silenciam
impotentes e exilados
diante do milagre
e da incapacidade de enterrá-los
– principalmente quando são de outros.

.

Cabe aos vivos, viver.

.

.

8 comments

  1. Eu não sei o que dizer, nao sei o que comentar. Talvez, por nao entender muito do assunto, ou por achar que somos nós mesmos quem matamos nossos mortos, ou até mesmo por não saber o que sei ou o que acho é um texto que eu leio e releio sem gostar. E sem desgostar tb.

    Gostar

    • Mari, quando aquilo que tentamos expressar através do que escrevemos é apropriado por pessoas das quais gostamos (ou mesmo aquelas que não conhecemos), dá maior sentido para nosso trabalho. Beijo

      Gostar

    • Mas viver tem mesmo algo de essência? Ou o que nos faltaria (por imposição sistêmica, não por escolha) é a chance de realizarmos todas as nossas potencialidades humanas?

      Gostar

  2. Amigo… parabens, fiquei um tempo sem visitar essa página, por correria, mas sempre que possível venho aqui! Você está de parabens, como sempre!!!

    Gostar

    • É bom sentir quando pessoas de quem gostamos tanto (e estão meio longe no momento), se aproximam de nós através da poesia. Viva à posia! Viva à vida! Saudade querida.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s