Perseguição*

.

A sua face e o seu verso
perseguem-me por toda parte.


Percebo você nas paredes pintadas de preto
e de branco
nas portas dos presídios, dos palácios, dos prostíbulos
e do meu apartamento
nas praças, nos parques, nas pedras
e nos presépios
nas pegadas e marcas que deixei no asfalto
e nos paralelepípedos.


Penetra meus pensamentos e meus poros
pulsa em meus pulsos, na minha pupila
polui e povoa a minha visão de tudo
– sendo belo ou não.


Punge daquilo que sou e que fui
elementos e pedaços soltos
E se traduz numa terceira coisa
que já não mais me pertence.

Jonathan Constantino

*da coletânea
“Revelações do abismo”
no prelo

6 comments

  1. Olá!! Que Lindo!Amei todos,principalmente esta estrofe:

    “Punge daquilo que sou e que fui
    elementos e pedaços soltos
    E se traduz numa terceira coisa
    que já não mais me pertence”

    Que fala de um terceiro elemento (algo bem Transdiciplinar)

    Parabéns!
    Continue!!

    Gostar

  2. Original,perfeccionista,ousado…
    Nosso país precisa de gente como você
    que hoje em dia é difícil encontrarmos
    pessoas com criatividade,bom gosto e acima de tudo
    AUTÊNTICA…

    Meus parabéns…!!!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s