Mignon et circensis

Standard

dos apoiadores do Golpe 2
ou
dos diálogos com Gilberto Gil, Drummond e Torquato Neto,
Chico Science, Roberto Bolaños e Manoel Bandeira

 

1

com a suave sensação
de que era melhor ter ido ao mangue
catar caranguejos borboletas e unicórnios
assistido ao filme do pelé
ou dançado um tango argentino
o homem deglute a bandeira nacional
servida em atacado no estacionamento
diante da paisagem da janela

.

escuta pela TV
as notícias das passeatas da CBF
ou dos patriotas da torcida canarinho
— não distingue ao certo

.

2

são todos bem saudáveis
teriam tomado o bom leite do leiteiro de drummond?
ou um complexo vitamínico
(já propagandeado pelo apresentador global dos sábados vespetinos)?

.

falam de filé mignon
distriuído no coliseu
ou pão na frente da fiesp
— não distingue ao certo

.

a brisa geme um refrão
— é a mesma dança, meu boi

.

3

ouve boquiaberto
baforando a fumaça do marlboro
relatos sobre a marcha da família com deus pela liberdade
realizada no plenário do congresso
e o relato dos deputados
desfilando em nome do pai
…………………………do filho
…………………………do espírito santo
…………………………da mãe
…………………………da mulher
…………………………da amante
…………………………dos amigos
…………………………do curral eleitoral
…………………………e do próprio umbigo

.

tudo orquestrado por um padre de hollywood
pelas ruas da capital paulista

.

— o homem é uma porta, nada compreende
mas sente falta das echarpes e dos tubinhos pretos

.

4

vê as imagens do presidente da câmara
decretar a vacância do cargo da presidenta
que estaria fora do país
(assim como o dinheiro que ele aplicou na suíça)

.

descobre que a atual embaixadora dos eua no brasil
já esteve em outros países latino americanos
(inclusive no paraguai quando demitiram o bispo que virou presidente)

.

lilyana teme que brunzundanga
se torne uma nova china, cuba ou venezuela

.

— é a mesma dança, meu boi

.

5

é informado que o petróleo
não será monopólio do brasil
nem da petrobras
(incorrigíveis filhos da corrupção)
e que o berço da democracia e liberdade
poderá planar suas asas de rapina
para proteger nossas riquezas
e nosso futuro

.

— é a mesma dança, meu boi

.

.

Choro de tolo

Standard

dos apoiadores do Golpe 1
ou

dos diálogos entre Raul Seixas e os Mutantes

pessoas na sala de jantar
na inércia de nascer e morrer
ocupadas com sua touch screen
e os dribles ao imposto de renda

.

pessoas sentadas na poltrona
de um apartamento com varanda gourmet
admirando boquiabertas
a imensa bandeira nacional
hasteada no pátio dum grande atacado

.

pessoas de cujo cume de seu olho
a ingênua e casta lágrima desce
refletindo o brilho auriverde
de seus corretos sentimentos e ações

.

eu que nunca fui santo
vejo maior verossimilhança
na escassa possibilidade
de sobre o topo do edifício itália
se assentar a sombra sonora de um disco voador

.

.

O brumário cabralino

Standard

.

dos diálogos com Oswald de Andrade,
Ruy Guerra e Chico Buarque
e Lima Barreto

.

.

Cabral perdeu-se na praia
após desembarcar em 22 de abril
debaixo duma bruta chuva
munido de espada e escapulário
e uma boa dose de lirismo
(além da sífilis, é claro).

.

Anos mais tarde
no dia 1º do mesmo mês
deu as caras no Senado
de mãos dadas a Auro de Moura Andrade
e outros passistas de correto traje e fino trato
desfilando no alto de um blindado alegórico.

.

Na segunda década do século 21
em 13 de maio se riria
adentrando o palácio
de braços dados com Michel
michê bem conhecido no Planalto
saudados por toda velha trupe de Bruzundanga.